Comunicação
Bacia de Santos

Iniciamos produção da P-70 no pré-sal de Atapu, na Bacia de Santos


Em 25 de junho de 2020, iniciamos a produção de petróleo e gás natural da jazida compartilhada de Atapu, por meio da plataforma P-70, na porção leste do pré-sal da Bacia de Santos.

A P-70, plataforma própria, quinto FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo e gás) da série dos replicantes, possui capacidade para processar diariamente até 150 mil barris de óleo e tratar até 6 milhões de m³ de gás natural. A unidade operará a cerca de 200 km da costa do estado do Rio de Janeiro, em lâmina d’agua de 2.300 m, com previsão de interligação de até oito poços produtores e oito poços injetores.

A jazida compartilhada de Atapu compreende os campos de Oeste de Atapu, Atapu e uma parcela de área não contratada da União, tendo o processo de unitização sido concluído em setembro de 2019. A Petrobras detém 89,257% dos direitos da jazida em parceria com Shell Brasil Petróleo Ltda (4,258%), Total E&P do Brasil Ltda (3,832%), Petrogal Brasil S.A (1,703%) e PPSA, representando a União (0,950%).

O início da operação da P-70 foi autorizado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) por meio da Licença de Operação nº 1574/2020, emitida em 19 de junho de 2020. A P-70 é a primeira plataforma a entrar em operação no âmbito da Atividade de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos – Etapa 3, cuja Licença Prévia nº 601/2019 foi emitida pelo IBAMA em 03/04/2019.

O processo de licenciamento ambiental Etapa 3 tem como escopo a implantação de 12 novos navios‐plataformas, que poderão operar na Bacia de Santos por aproximadamente 30 anos, além de 11 empreendimentos que produzirão óleo e gás em um período de curta duração (entre 6 e 12 meses). Esses projetos ficam localizados nos campos de Atapu, Búzios, Itapu, Lula, Mero, Sépia, Sul de Sapinhoá e Sururu, além das áreas de Júpiter e Sagitário.

Confira todos os documentos do processo na aba do Projeto Etapa 3.

Acesse a Licença de Operação de Atapu 1.

Notícias relacionadas