Comunicação
Bacia de Santos

O Plano de Proteção à Fauna tem como objetivo apresentar as espécies protegidas e grupos prioritários a serem protegidos em caso de vazamento de óleo na Bacia de Santos, selecionados a partir de critérios aprovados pelo Ibama. O plano tem caráter regional.

Neste plano, são definidas estratégias de resposta em caso de vazamento de óleo sob uma abordagem em três níveis: resposta primária (manter o óleo afastado da fauna), resposta secundária (manter a fauna afastada do óleo) e resposta terciária (capturar e tratar a fauna oleada).

As principais espécies e grupos contemplados no plano são:

  • Spheniscus magellanicus (Pinguim de Magalhães);
  • Pontoporia blainvillei (Toninha);
  • Quelônios Marinhos: Chelonia mydas (tartaruga-verde), Lepidochelys olivacea (tartaruga-oliva), Eretmochelys imbricata (tartaruga-de-pente), Caretta caretta (tartaruga-cabeçuda), Dermochelys coriacea (tartaruda-de-couro);
  • Balaeonoptera edeni (Baleia-de-bryde);
  • Sotallia guianensis (boto cinza);
  • Eubalaena australis (baleia franca);
  • Arctocephalus australis (lobo marinho sul americano);
  • Aves marinhas insulares residentes: Sula leucogaster (atobá); Fragatta sp. (fragata), Sterna sp. (trinta-réis);
  • Aves marinhas que nidificam nas ilhas costeiras;
  • Aves marinhas oceânicas: albatrozes e petréis;
  • Aves limícolas.

A Petrobras assinou contrato com a empresa Aiuká Consultoria em Soluções Ambientais para o suporte à execução do PPAF em 01/09/2015. Por meio de acordos de cooperação, a Aiuká atua em todo o mundo em parceria com instituições como o International Bird Rescue (Estados Unidos), a Southern African Foundation for the Conservation of Coastal Birds (África do Sul) e o Sea Alarm (Bélgica). Além disto, a Petrobras também tem contrato com o Centro de Recuperação de Animais Marinhos da Universidade Federal do Rio Grande (CRAM/FURG).

As atividades do PPAF constam dos relatórios de exercícios simulados realizados periodicamente pela Petrobras, nos quais o plano é exercitado. Os relatórios são públicos e podem ser solicitados ao Ibama.

Para acessar o Plano de Proteção à Fauna, clique aqui.